O Círculo dos Filhos


            O blog Psychobooks está com um grande concurso cultural valendo vários kits de livros para comemorar seu aniversário. Em um desses kits, a tarefa é escrever um texto utilizando os títulos dos seis livros que o compõe: A Filha da Minha Mãe e Eu, O Reino, O Livro do Amanhã, Bruxos e Bruxas, Manuscritos do Mar Morto e Tipo Destino.
      Quando fui escrever o texto, que a princípio era para ter uns dois parágrafos, acabei me empolgando e ele se estendeu muito mais do que o esperado, tanto que acabei usando só parte dele para o concurso. De qualquer maneira, achei interessante compartilhar o texto todo no blog! Boa leitura!

-x-

     Naquela noite, a Clareira Sagrada era iluminada pela pálida luz da Lua Cheia que brilhava no céu. Uma leve bruma tomava conta do lugar, através da qual era possível ver numerosos vultos, vestindo longas capas pretas, os capuzes erguidos escondendo seus rostos. Eles formavam um círculo silencioso. Em seu meio, havia apenas o toco de uma árvore há tempos cortada, no qual repousava um grosso livro de aspecto antigo.
     Apesar do frio que fazia, nenhuma das figuras parecia  se importar. Imóveis, elas mantiveram sua formação por um longo tempo, conforme a Lua subia no céu, até alcançar seu ponto mais alto, com o brilho incidindo diretamente sobre a clareira. Nesse momento, uma das pessoas se destacou do círculo, aproximando-se do livro no centro do local. Ela abaixou seu capuz, revelando um homem de aparência altiva, com cabelos negros lisos até os ombros e olhos azuis. Os outros membros do círculo imitaram sua ação, descobrindo seus rostos, que variavam desde jovens até idosos. Todos apresentavam a mesma coloração de olhos que o homem ao centro.
     Este, após todos terem revelado sua identidade, encostou suavemente a mão direita na capa do livro.
     - Irmãos e irmãs – proclamou, e sua voz ecoou no silêncio da noite – Bruxos e bruxas do reino de Saagha, filhos da Natureza e irmãos de sua Filha Suprema, a Lua Cheia, nos reunimos aqui hoje para celebrar a junção de mais um ao nosso círculo. Aproxime-se, Elero, filho da Natureza.
     Um garoto franzino, aparentemente o mais jovem dali, destacou-se dos outros e dirigiu-se ao centro da clareira, parando do lado oposto ao homem com uma expressão de ansiedade. O livro repousava entre os dois.
     - Seja bem-vindo, Elero, ao Círculo dos Bruxos de Saagha. Eu, Artros, protetor do Círculo, convido-o a prestar seu juramento para o Livro do Amanhã, nosso guia sagrado e guardião dos Manuscritos do Mar Morto, o registro dos destinos dos filhos da Natureza. – disse o homem, retirando a mão que repousava sobre o livro e em seguida agarrando a mão direita do garoto. – Você está pronto para se unir a nós?
     - Estou – afirmou Elero, solene.
     Sua mão foi colocada sobre o livro, que emitiu um brilho esverdeado. Os integrantes remanescentes na formação do círculo se aproximaram e deram-se as mãos de maneira a fechar os buracos deixados por Artros e Elero. Sob a luz da lua e a bruma, as pessoas pareciam tremeluzir.
     - Ó, Natureza, poderosa mãe que protege o reino de Saagha, e grande Lua Cheia, que coloca seu olhar sobre nós – entoou Artros, com a voz repentinamente mais profunda. Seus olhos, assim como o de todos os outros, voltaram-se para o céu. – Concedam a Elero sua confiança e deixem que ele siga seu destino, determinado desde o nascimento, de unir-se ao Círculo dos Filhos.
     Dito isso, Artros retornou para seu lugar no Círculo, juntando suas mãos às dos outros. O brilho que emanava do livro ficou mais forte, e um vento fraco soprou por entre as árvores. A tensão entre os presentes pareceu aumentar. Todos os olhares agora se fixavam no jovem ao centro da clareira. Ao falar, as palavras de Elero carregavam o peso da responsabilidade que ele assumia.
     - Eu, Elero, juro ser fiel ao Círculo dos Filhos e usar meus poderes com sabedoria. Tomo todos aqui presentes como irmãos, e juro que por eles darei minha vida. Juro defender o Círculo, e caso o mal sobrevenha e reste apenas a Natureza, a Mãe da qual vim e a qual sirvo, a Lua Cheia, a Filha da minha Mãe, e eu, juro que ainda assim não cessarei minhas obrigações e cumprirei meu destino até o último de meus dias.
     Ao término da fala do garoto, o vento aumentou de intensidade, enquanto Elero sentia o poder aumentando dentro de si. As pessoas ao seu redor ergueram os braços para o alto, entoando um canto para os céus.
     - Grande Mãe Natureza, imponente Lua Cheia, nós lhes oferecemos nosso poder!
     A floresta, antes silenciosa, parecia estar viva; as árvores pareciam se mover ao redor do círculo, e a luz que incidia sobre a clareira pareceu ficar ainda mais forte. Elero fechou os olhos, a mão ainda posta firmemente sobre o Livro do Amanhã, e repetiu junto aos outros:
     - Grande Mãe Natureza, imponente Lua Cheia, nós lhes oferecemos nosso poder!
     E, de repente, tudo cessou. As vozes se calaram, o vento parou de soprar, e o livro não mais emitia brilho algum. Por alguns instantes, todos mantiveram um ar solene, que indicava o fim da cerimônia. Então, lentamente, os bruxos e bruxas foram se aproximando de Elero para lhe dar as boas-vindas, agora em tons bem mais descontraídos. O garoto parecia afogueado com toda a atenção.
     Artros se aproximou do jovem e colocou a mão sobre seu ombro.
     - Seja bem-vindo ao Círculo, irmão.
     Elero sorriu.
     - É muito bom finalmente me juntar a vocês, irmão. – por fim, toda sua animação e orgulho pareceram transparecer em seu rosto, e, abandonando toda a postura séria, ele acrescentou – Tipo... destino melhor que esse não tem!
     Artros riu do jovem bruxo e em seguida afastou-se, deixando Elero usufruir da atenção de ser o mais novo membro do Círculo dos Filhos. 

3 comentários:

  1. Parabéns Thais!!! Cada vez mais explorando e exercitando o seu maravilhoso dom e sua imaginação. Adorei!

    ResponderExcluir
  2. Oi Thais, adorei o texto! Espero que você ganhe, ficou bom mesmo!
    Beijos

    www.ratasdebiblioteca.com

    ResponderExcluir
  3. Oie,
    nossa adorei a ideia, vou tentar.
    Seu texto ficou mto bom!!

    bjos

    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir

Quem escreve

Quem escreve
Thais Pampado. 20 anos. Escritora e estudante de Produção Editorial. Apaixonada por livros e por escrever. Lê praticamente qualquer gênero, mas tem uma paixão especial por fantasia e YA.
Tecnologia do Blogger.

Siga por e-mail

Leitores

2015 Reading Challenge

2015 Reading Challenge
Thais has read 0 books toward her goal of 100 books.
hide